Uma escritora frustrada, porém sonhadora I



Uma escritora frustrada, porém sonhadora I


O escritor tem a ideia, lapida a ideia, trabalha a ideia por dias, meses e anos, desenvolve os personagens, desenvolve o enredo, desenvolve os acontecimentos...
Então o escritor revisa, edita, revisa de novo e pede ajuda para seus amigos e familiares, e então modifica isso e aquilo... E revisa, revisa, revisa.
Então o escritor decide publicar, sem conhecimento, sem ajuda, sem que ninguém lhe diga o que fazer - se está certo ou errado.
O escritor arrisca. E não recebe resposta, e fica esperando, doente, por notícias... E aguarda, aguarda, aguarda, e recebe notícias ruins e recebe notícias boas e não sabe o que fazer.
O escritor arrisca. Pede dinheiro emprestado e fica doente de novo, e não sabe o que fazer ou com quem falar... Mas arrisca. E descobre que não era o que ele tanto sonhava, que é mais difícil, mais difícil, muito mais difícil...
O escritor paga pela capa, pela diagramação, pela revisão... Paga e paga e paga. E pede ajuda aqui e acolá, porque o escritor só quer seguir seu sonho...
O escritor espera. Só sabe esperar.
Então o escritor conversa com os amigos, com a família, e eles o apoiam e dizem que vão comprar, que vão no lançamento, que vão adorar a história. E eles são os únicos que conhecem um pouco dessa trajetória e sabem o quanto foi difícil, o quanto é difícil... O quanto sempre será sempre difícil (?).
E então o livro não vende (porque tá caro). E então o livro vende (um pouco, mas está bom). E então o livro não vende (não é bonito). E então ele vende (para um familiar). E então ele não vende (não está nas livrarias, não está no Submarino).
Os leitores amam, os leitores odeiam. Eles comentam, criticam, falam bem, falam mal. E o escritor aprende a cada dia. E o escritor precisa aprender a cada dia.
Mas ainda não acabou. O escritor não vende mais, e se desespera, e se pergunta qual o problema, o que pode fazer para mudar, se vale a pena continuar. E seus amigos e leitores dizem que sim, que vale sim, e ele volta a acreditar, mas é tão difícil...
E então ele divulga, divulga, divulga, divulga... E divulga, até que alguém finalmente o ouça e se interesse e goste e conte para um amigo. E então ele coloca em outro site, mais barato, e os leitores ficam felizes e comentam, e querem mais e pedem por continuação.
E é quanto tudo isso vale a pena.

Mas novamente chegará o dia que tudo irá se repetir. O dia em que o escritor terá outras ideias - muitas ideias. E decidirá se arriscar novamente, e vai continuar sendo difícil, mas talvez não tão difícil.
A espera vai ser menos agonizante, a decisão mais fácil de ser tomada, e novos amigos estarão ao seu lado para apoiá-lo. O escritor não precisará mais pegar dinheiro emprestado, mas deixa de comprar isso ou aquilo, porque está seguindo seu sonho, mais uma vez...
E apesar de tudo isso, ele ainda não desistiu. Apesar de ter gastado tanto, de ter se estressado e ficado doente; apesar de receber na sua conta míseros 5 reais pela venda de um livro que o próprio escritor é o dono, em toda sua essência; apesar de ler uma crítica dizendo que esperava mais do livro, ou que se decepcionou com a leitura; apesar de não vender nada, por meses e meses; apesar de não ter mais fôlego ou vontade de escrever, porque não há quem se importe, afinal para quê continuar criando histórias que poucos lerão, que poucos conhecerão...
E, apesar de tudo isso, o escritor não desiste, apesar de desejar desistir a cada instante.
Porque o escritor ainda precisa realizar seu sonho e apenas ele compreende o que é. Porque o escritor desejou e lutou por isso desde os 13 anos de idade e ainda tem fé, apesar de tudo... Apesar de vir de uma família humilde, apesar de nunca ter viajado para fora do país, apesar de não ter uma casa própria ou um carro, apesar de ter vivido em uma cidadezinha litorânea por vários anos sabendo que a vida seria difícil - de lutas, de conseguir tudo pelo seu próprio mérito, não de mão beijada.

E, no fim, esse mesmo escritor vai continuar lutando (será? talvez? provavelmente? é o que pretende) pelo seu sonho de criança, que se tornou sonho de jovem, e então sonho de adulto - um sonho eterno. Ele vai continuar lutando porque sente que é o seu futuro, que é a única coisa que o completa, que o torna essencialmente feliz.

Se vai dar certo... Quem sabe?
Ele não sabe, mas espera que sim. Todo dia ele espera que sim.


"L. L. Alves construiu uma história de fantasia cheia de surpresas, mistérios, lutas, romance e situações inesperadas. Definitivamente vale a pena ler e mergulhar nos mais profundos segredos da Instituição para Jovens Prodígios."

Poliana, Blog Páginas da Minha Vida Literária


© L. L. Alves - 2020. Todos os direitos reservados.